Esta opção irá voltar ao original a home e restaurar todos os widgets e categorias fechados.

Reset

Farinha de Maracujá Seca e Combate ao Diabetes

farinha-maracuja2Alimento do sistema gastrointestinal  e também por ser um bloqueador de gordura o qual impede ou interrompe a absorção da gordura presente nos alimentos, levando à perda de peso.

Entre os nutrientes encontrados na farinha de maracujá estão quatro que merecem destaque: a niacina (vitamina B3), que auxilia na produção de hormônios, melhora a ansiedade, ajuda no crescimento das crianças e protege as paredes do estômago; o ferro, que ajuda na prevenção da anemia e dá energia; o cálcio, queridinho dos ossos e dentes e o fósforo, que dá um up na memória, atua na oxigenação das células e na circulação.- Blog Saltitando com as Palavras
A substância responsável pelo poder emagrecedor é a pectina, uma fibra solúvel encontrada em grande quantidade na parte branca da entrecasca da fruta, que ao ser ingerida forma uma espécie de gel não digerível proporcionando a sensação de saciedade. A farinha tem 20% dessa fibra, segundo estudo feito pelo químico e pesquisador Armando Sabaa Srur, da Faculdade de Nutrição da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

A pectina não só regula a produção de glicose, sendo bastante eficaz no controle e prevenção do diabetes, como também ajuda a reduzir a ação do colesterol, pois se liga à gordura, fazendo com que ela seja eliminada no final da digestão.

Entre os nutrientes encontrados na farinha de maracujá estão quatro que merecem destaque: a niacina (vitamina B3), que auxilia na produção de hormônios, melhora a ansiedade, ajuda no crescimento das crianças e protege as paredes do estômago; o ferro, que ajuda na prevenção da anemia e dá energia; o cálcio, queridinho dos ossos e dentes e o fósforo, que dá um up na memória, atua na oxigenação das células e na circulação.

Conheça seus principais benefícios e veja se vale a pena incluir esse alimento em seu dia a dia.

Benefícios
Bloqueia a Gordura: A farinha feita com a casca do maracujá também se revelou um excelente bloqueador de gordura o qual impede que o organismo absorva parte desse nutriente presente nos alimentos. Daí “o porquê” de se emagrecer.

Provoca a Sensação  de Saciedade: “No estômago, a pectina se transforma numa espécie de gel não digerível, provocando sensação de saciedade”, explica a médica e nutróloga Daniela Hueb. Com isso, você se sente bem alimentada com uma porção menor de comida.

Ajuda na Digestão: Uma das maiores características da casca de maracujá é a maior quantidade de fibras. Ela chega a ter 10 vezes mais esse nutriente do que o suco feito com a polpa. É ainda rica em potássio, tendo duas vezes mais do que o suco. Também contém várias vitaminas e minerais que se preservam quando ela é transformada em farinha.

Ajuda no Crescimento: Entre os nutrientes encontrados na farinha de maracujá estão quatro que merecem destaque: a niacina (vitamina B3), que atua na produção de hormônios, melhora a ansiedade, ajuda no crescimento das crianças e protege as paredes do estômago; o ferro, que ajuda na prevenção da anemia e dá energia; o cálcio, que favorece a contração muscular, fortalece os ossos e dentes e o fósforo, que também deixa os ossos fortes, além de melhorar a memória, a oxigenação das células e a circulação.

Tem um Efeito Detox: A fibra presente na farinha de maracujá também promove uma faxina no organismo, ajudando a eliminar as toxinas, que, acumuladas, prejudicam o funcionamento dos órgãos e, com isso, desequilibram o metabolismo.  Para facilitar a ação desintoxicante da pectina, é importante beber mais água, no mínimo 2 litros por dia.

Previne o Diabetes: A redução dos picos glicêmicos e da produção de insulina é benéfica. Quando o hormônio é produzido e liberado no corpo em grandes quantidades, alguns tecidos e órgãos começam a reduzir sua resposta a ele, sendo preciso mais insulina para armazenar a mesma quantia de glicose. Esse processo é um quadro chamado de resistência a insulina, que se não for revertido, pode evoluir para diabetes do tipo 2.

No caso de quem já tem o quadro, quanto mais picos de glicose no sangue, pior seu estado fica. Portanto, o consumo dessa farinha ajuda a ter um equilíbrio de açúcar no sangue, estabilizando o problema.

Melhora as Taxas de Colesterol e de Triglicerídeos: A pectina também ajuda a reduzir a ação do colesterol, pois se liga à gordura, fazendo com que ela seja eliminada no final da digestão.

O estudo conduzido pela Universidade da Paraíba também demonstrou que as 17 mulheres com cholesterol alto, depois de 70 dias consumindo a farinha, elas não só tiveram as taxas de LDL, o colesterol ruim, reduzidos como também perderam peso.

Reduz a Absorção de Gordura: O efeito se deve também ao gel formado pela pectina, que não só reduz a absorção do colesterol como também se liga a essa gordura, fazendo com que ela também seja eliminada no fim da digestão. De qualquer modo, observe como seu organismo responde ao produto.

Colabora com a digestão: Todo alimento rico em fibras auxilia na digestão, por facilitar a passagem do bolo alimentar pelo intestino grosso, otimizando o trânsito intestinal. Além disso, elas são fermentadas nos intestinos, processo que estimula a microbiota — antes conhecida como flora intestinal — bactérias do bem que ajudam na nossa digestão.

A presença de vitamina B3 nesse alimento ajuda a proteger as paredes do estômago, ajudando também nesse processo. Quando chega ao intestino, a pectina bloqueia a absorção da gordura dos alimentos.

 Como consumir a Farinha de Maracujá

A dose indicada  é de uma a duas colheres de sopa, diariamente, 30 minutos antes das principais refeições (almoço e jantar) , para trazer saciedade e evitar o exagero ao comer e também ajudar a retardar a entrada no açúcar na célula após as grandes refeições. É recomendado o acompanhamento profissional para esse tratamento.

A farinha de maracujá também pode ser polvilhada em sobremesas, dissolvida em sucos, batida com frutas, sopas, frutas amassadas, no iogurte, na salada, iogurtes e outros alimentos. Jamais a leve ao fogo, pois a exposição ao calor pode alterar sua estrutura e seu valor nutricional.

Só não é indicado levá-la ao fogo, pois ainda não há estudos que garantam que essa exposição extra ao calor não altere sua estrutura e seu valor nutricional.

Obs: É recomendado ainda não ingerir mais do que 3 colheres de sopa da farinha por dia, porque suas fibras podem causar prisão de ventre. Vale lembrar que numa dieta onde a ingestão de farinhas é elevada, a água deve ser a principal aliada. Ela faz com que o intestino funcione bem, para que se alcance todos os benefícios que a fibra proporciona ao organismo. Caso contrario poderemos ter uma constipação intestinal.

Como fazer a Farinha de Maracujá Caseira
Apesar de existirem várias opções de farinha da casca do maracujá feitas por laboratórios farmacêuticos, à venda em farmácias e lojas de produtos naturais, não é recomendado comprar o produto em saquinhos sem identificação, principalmente, os que são vendidos em  barracas de rua ou feiras livres.

Entretanto, para aproveitar ao máximo as suas propriedades, que tal prepará-la em casa. Veja como fazer.

• Coloque seis maracujás de molho por 15 minutos em um litro de água com 1 colher (sopa) de água sanitária ou por 20 minutos numa mistura de água com bicarbonato de sódio (1 colher de sopa por litro) ou vinagre.

• Depois, lave-as em água corrente e retire as polpas para fazer suco.

• Corte a casca em tirinhas, ponha numa assadeira e asse em forno médio por cerca de 30 minutos ou até ficarem sequinhas.

•  Após esfriar, bata no liquidificador ou passe no processador até obter uma farinha.

•  Peneire e guarde em um recipiente com tampa e consuma em até três meses.

Contraindicações

Não existem contraindicações ao consumo desse alimento, apenas é recomendado seguir uma dieta equilibrada para ter melhores efeitos. Em uma das pesquisas já realizadas com a farinha da casca de maracujá,  voluntários receberam a farinha a fim de testar sua toxicologia clínica e não demonstraram sinais de toxicidade.

Mas atenção:
Quando consumida em excesso, a quantidade de fibras pode acabar causando diarreia, distensão abdominal e vômitos. O consumo feito por crianças, gestantes e lactantes deve ser realizado sob supervisão médica.

Onde encontrar

A farinha de maracujá pode ser encontrada em alguns supermercados e em lojas de produtos naturais. É possível também comprá-la pela internet, mas cuidado para escolher lojas e marcas confiáveis.

Atenção, recomenda-se consultar seu médico ou um nutricionista que poderá avaliar e orientar qual a quantidade mais apropriada a ingerir  de suplementos de fibras e outros alimentos, bem como incorporar uma atividade física à sua rotina.

Fonte: Toda Dicas

Deixe o seu comentário!

Powered by Facebook Comments